thinking out of the box

translate to English

A minha família respira de alívio. E eu também.
Entreguei hoje o último trabalho na faculdade para este ano lectivo.
Além de passar a estar por aqui mais frequentemente volto hoje às outras coisas que deixei a meio, uma manta para a cama do meu filho, um xaile que a simpática e talentosa Vera me ensinou a fazer na Retrosaria, e mais uma ou outra coisa.
Durante este tempo que passou foram muitas mais as vezes que peguei nos lápis e nos pincéis do que as que me sentei a costurar.
Mas no final do semestre o projecto final deixou-me matar a saudade pelo gosto em fazer estas coisas.
O exercício baseava-se nos "ready-made" do Marcel Duchamp uma forma de arte que desconhecia e que me custa a compreender mas devo confessar que o exercício foi um desafio bem interessante.
Basicamente teria que escolher uma entre algumas peças que nos definiram, pensar nela como uma tela em branco, e mudar-lhe a função. Ah, é verdade, e já agora a questão da sustentabilidade também era importante.
Lembrei-me logo do monte de camisas de homem que vou "coleccionando" por força das circunstâncias.
Depois de voltas e mais voltas com as camisas sobre um manequim cheguei finalmente a uma "solução" que me dizia algo e surgiu esta ideia de transformar (cinco) camisas de homem num vestido e neste alfinete de peito avantajado.
Talvez me tenha desviado um bocadito de nada do dito do conceito puro e duro dos "ready-made" (não sei ...) mas modéstia à parte gostei do resultado final. E devo dizer que como método para a geração de ideias me parece óptimo. E estou a falar a sério :)
Na verdade foram mais do que cinco camisas porque até conseguir acertar com a manga raglan que decidi aplicar para poder manter a estrutura dos colarinhos houve mais algumas que foram destruídas.
A simplicidade tem muitas vezes um preço alto e neste caso a simplicidade aparente do resultado final esconde várias horas a testar a adaptação de um molde convencional (a da manga raglan) sobre duas camisas em vez do tecido plano sem cortes.
Mas valeu a pena! Era precisamente este "thinking out of the box" que procurava e não me posso queixar porque o tive em dose considerável.
Alô família! Ainda estão aí? Estou de volta e obrigada meus queridos pela vossa ajuda para esta tresloucura e pela vossa paciência que às vezes me parece infinita :)
E agora quase férias .... :)

12 comentários:

  1. Bem vinda de volta! Já tinha dado pela falta, mas imaginei que o final do ano lectivo fosse o motivo da ausência.
    Achei o projecto super interessante, e o resultado genial. No manequim parece-me muito engraçada a manga raglan com os botões e a gola ao contrário. Vestido também cai bem? De qualquer forma Parabéns ! Muito original!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Teresa, a disponibilidade para escrever aqui exige algum tempo que de facto não tive. E sim, cai lindamente. Foi precisamente para que ficasse bem acusado na zona dos ombros e cavas que tive a trabalheira. Tinha tecido a mais nos ombros que me faltava por baixo dos braços. Na realidade tive que desmanchar a parte superior da camisa e tornar a montar para poder aplicar o molde. Também fiz u, livro de instruções que sou capaz de fotografar para pôr aqui e mostro as engenhocas que andei a inventar :). bjns

      Eliminar
  2. Uau! grande projecto, muito original de facto, muito criativo. E sim, com certeza que foi extremamente trabalhoso, pois tem um cair muito natural, como se tivesse sido sempre assim, um vestido. Parabéns pelo trabalho e pelo fim da etapa ;)

    ResponderEliminar
  3. Olá Paula! É um facto... a simplicidade por vezes tem mesmo um preço muito alto:) Mas o resultado ficou deveras bonito! Se eu vestia? Sem dúvida! E fico aqui a a pecar... pela cobiça:):)
    Parabéns!
    Beijinho,
    Manuela

    ResponderEliminar
  4. Olá Paula, imagino que tenha sido muito trabalhinho para acabar o ano lectivo :) Achei muito curiosa esta alteração, ainda ontem vi um episódio do The Great British Sewing Bee e o desafio das alterações era precisamente fazer uma peça nova usando duas camisas com padrões diferentes e não deixa de ser interessante perceber a versatilidade da reutilização de roupa. Entretanto estas modificações fazem-me sempre lembrar a filosofia do "make, do, mend" na ww2.

    O resultado final ficou excelente. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Sara! Todo o 2º semestre me deu muito trabalho de facto. Mas agora estou de volta. Comecei a ver o GBSB na nova série que começou recentemente. Esta 2ª não consegui seguir com atenção porque estava a acabar uns desenhos enquanto ouvia e algumas vezes distraí-me. Esta ideia de reutilização tb me lembra o "mending" da 2ª Guerra. Há tempos vi uma exposição muito interessante sobre esse tema onde explicavam que no caso das camisolas de lã que deixavam de servir às crianças, estas eram desmanchadas e o fio era reaproveitado numa nova camisola tricotada. Incrível não é?! :)

      Eliminar
  5. Viva, Paula! Há tanto tempo!... Que bom regressares trazendo aqui uma obra de arte em forma de vestuário. E, tal como tantas obras de arte (e a coca-cola, já dizia Pessoa), primeiro estranha-se e depois entranha-se. Para mim, que sou um pouco enfadonha no vestir, seria ousado demais, confesso, mas acho giríssima a ideia. E a confecção parece muito perfeita. E vejam só aquele senhor alfinete - lindo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Miú, o alfinete também é o meu favorito! :)

      Eliminar
  6. Espectacular! Muitos parabéns, Paula! :) Que trabalho fantástico e original! Sem dúvida digno de trabalho final. Até breve! Beijinho

    ResponderEliminar
  7. Olá Paula, sabes que já cá vim umas quantas vezes ver e rever o teu projeto? Lindo, super diferente, criativo e interessante. Vejo-te tanto lá dentro, acho que deve cair-te como uma luva. Aproveitei para conhecer o conceito de ready-made, que desconhecia. Como sabes, sou muito pouco ligada à moda (infelizmente) mas na Tv gosto de ver o project runway. Os episódios que me captam mais a atenção, são aqueles em que os concorrentes têm de criar algo aproveitando materiais. Fico boquiaberta com a criatividade ilimitada. Estás de parabéns, Paula, és talentosa, e sei que também muito perfeccionista e exigente. A flor tamanho XXL é a cereja no topo do bolo, sem dúvida. Beijinho!
    PS: adorei o termo "flash" para a cadeira, tal e qual!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Val, experimenta ver tb o Great British Sewing Bee que dá às 2as às 21h na BBC2. É outro estilo mas tb é interessante de ver (acho eu). O ready-made não está directamente ligado à moda. Mas tem um conceito associado que pode ser usado em moda ou outras áreas como método para geração de ideias. Não queria estar a lançar mais confusão ... nem armar em espwcialista que não sou :) Resumindo e concluindo Val: tudo o que ajuda a ter ideias para mim serve e é bom :) bjns

      Eliminar

botões de partilha