Florença e à procura de pigmentos para tingimento

translate to English
Uma escapadinha de fim-de-semana até Florença.
Decidida sem qualquer planeamento ou preparação.
Sair da confusão natalícia. 
Nunca tinha estado em Florença. Infelizmente não deu tempo para visitar os arredores que me dizem serem fantásticos. Mas o que vi foi suficiente para saber que é o meu tipo de cidade.
Mesmo nesta altura do ano em que o céu calha estar cinzento. O colorido dos edifícios nestas cores melancólicas, suaves, e "quentes". E o tagarelar da língua italiana que sempre gostei de ouvir.
O passeio ao longo do rio e a paisagem com a vista das pontes é lindíssima. Embora as fotografias possam dar uma ideia, ao "vivo e a cores" é mesmo absolutamente fantástico!






Visitar a residência de verão Medici na Piazza Pitti e ficar estupefacta com a riqueza em absurdo deste palácio. 
Voltar atrás e passar a Ponte Vecchio (demasiado turística para o meu gosto), e entrar na Piazzale degli Uffizi.
Visitar as Galerias Uffizi e ter o privilégio de ver a maior colecção do mundo com obras do Renascimento. Escusado será dizer que demorei mais do que devia, e em especial, das mil e uma fotografias que tirei escolhi um pedacinho do Bacchus do Caravaggio que não podia deixar passar.
Nas minhas aulas de pintura deste ano tive uma ou duas aulas dedicadas a pintar a transparência da água em recipientes de vidro.
Devo dizer que não é fácil e que obriga a um esforço de observação que permite aprender o claro-escuro numa perspectiva muito interessante. Digamos que se aprende a olhar para a luz nos objectos e a ver o que antes não sabíamos.
Foi por isso que apesar de tudo o resto (com o devido respeito pelo Leonardo da Vinci, pelo Botticelli, e todos os outros) só este canto com a garrafa de vinho era mais do que suficiente para considerar o meu dia como ganho. Coisas minhas ... que me desculpe quem ler isto ... :) 
Enfim, avançando ...


A seguir continuar o passeio até à Piazza della Signoria logo ao lado. 
Admirar o Palazzo Vecchio.
Sentar-me numa esplanada para beber um café e apreciar uma das representações da geometria de Leonardo da Vinci


Logo ao lado fica o Duomo cujas filas para entrar me fizeram desistir da visita.
O que não foi propriamente um problema, diga-se ...

Num sítio como Florença encontram-se algumas lojas bem antigas de perder a cabeça para quem gostar de pintura e afins.
O mesmo se poderá dizer a alguém como eu que ultimamente se entretém a experimentar o que puder e conseguir em tingimento têxtil.
Pesquisando um bocadinho encontrei três locais que vale bem a pena visitar. 
Infelizmente só tirei fotografias do último. Era o mais espetacular, quando se abre a porta ouve-se o som de uma campainha, e a seguir recua-se no tempo. Alquimista foi a palavra que me ocorreu. Mas quem apareceu foi o neto ou bisneto do fundador, já não sei bem ... Um italiano bem parecido com o qual me entendi às mil maravilhas a descobrir e comprar alguns pigmentos para as minhas experiências. :)
Absolutamente maravilhoso!!! :) :) :)
Em relação a esta e às outras duas aqui fica o registo e as indicações para consulta futura:
Dr Alessandro Bizzarri (imagens abaixo) e Zecchi que funciona lindamente on-line, no caso dos pigmentos. E Campolmi filati onde me vi rodeada de fios por todo o lado, e mais uma vez o neto do fundador (mais outro italiano simpático e bem parecido) foi quem me recebeu e ajudou a escolher fibras naturais de vários tipos para tingir.
Foi uma tarde nisto mas mesmo assim soube-me a pouco. :)








8 comentários:

  1. Olá Paula, fui a Florença quando tinha uns 12, 13 anos, ou seja, é nmelhor dizer que nunca fui. lembro-me de na altura ter a sensação de estar num museu a céu aberto: a arte estava por todo o lado. Sensacional a tua descrição e mais sensacional ainda a loja. Vejo que continuas na tua pesquisa por tingimentos! Beijinho grande, boas festas.

    ResponderEliminar
  2. Ahhhh! Obrigada por esta partilha... e já agora, desejo um ano de 2020 repleto de alegria e saúde! Beijinho

    ResponderEliminar

botões de partilha